Escreva para pesquisar

BOLA DA VEZ

Emmanuel Orillard – CEO da ília

Compartilhar

As medidas de isolamento social para combater a pandemia da COVID-19 fizeram explodir a demanda por produtos e serviços digitais. Quem soube surfar essa onda se deu bem: a ília (ex-AIS Digital), especializada nos segmentos de mobilidade, finanças e seguros, mais que dobrou o faturamento em 2020 e começa sua expansão internacional pelo mercado europeu. É o que conta o CEO Emmanuel Orillard, que dá detalhes sobre os planos da empresa para os próximos anos.

 

VoxNews – A empresa divulgou crescimento de 120% no ano passado. Como conseguiram esse resultado?

Emmanuel Orillard – De fato, os resultados do ano passado foram muito positivos. Mais que dobramos nossa receita. Em um momento em que as empresas tiveram que ampliar a interação com os consumidores, a procura por serviços de tecnologia cresceu muito e estávamos prontos para escalar a nossa operação e auxiliar nossos clientes nessa tarefa. Outro ponto que contribuiu, além do crescimento natural da atividade de digital, foi a intensificação dos nossos esforços comerciais fora do Brasil. A parte internacional representa hoje cerca de um terço do nosso faturamento.

 

VoxNews – Em que medida a pandemia da covid-19 afetou os negócios da ília?

Emmanuel Orillard – Além do crescimento da busca por serviços digitais, 2020 também foi um ano para consolidar o trabalho remoto. Essa prática já era bastante presente no nosso dia a dia e foi aprimorada pela necessidade do afastamento social. Os resultados foram excelentes. A percepção da qualidade da nossa entrega com os clientes aumentou consideravelmente. Mantivemos o nosso NPS (Net Promoter Score) na zona de excelência por todo o período. Nosso pessoal também aprovou a experiência. Em pesquisas internas, 98% dos que responderam preferiam o trabalho remoto, o que nos fez tomar a decisão de continuar oferecendo esse formato mesmo depois de passada a pandemia.

 

VoxNews – Vocês estão há 8 anos no mercado. Por que a mudança de nome agora?

Emmanuel Orillard – Começamos com uma atividade principal, a construção de produtos digitais. Há dois anos, decidimos abrir duas novas unidades de negócios. Uma tem a ver com relacionamento com o cliente através da plataforma Salesforce de CRM. Na outra, ajudamos empresas a adaptar sua cultura interna à nova realidade de negócios, tornando-as mais focadas no cliente final (customer centric) e mais ágeis para para poder se adaptar às mudanças de um mercado cada vez mais volátil. Com o amadurecimento do grupo, surgiu a necessidade de buscar uma identidade que carregasse a nossa história, que transmitisse o nosso desejo pelo simples e pela inovação, e que unificasse as três unidades de negócios. Adotamos ília, que é um nome que remete à cidade onde nasceu a empresa (Brasília), mas que também se conecta a família, pois reunimos a nossa família, as nossas empresas, sob uma única marca.

 

VoxNews – No que se baseia o plano de expansão para fora do país, já que, internacionalmente, existem players muito fortes nesse ramo?

Emmanuel Orillard – Já atendemos alguns de nossos clientes, como Santander e BMW, em mercados fora do Brasil. Estamos investindo na internacionalização da empresa, inicialmente com a abertura de um escritório em Madri, mas com vistas a ampliar ainda mais e conquistar novos clientes nesses mercados. Um orgulho que a gente tem é colocar o Brasil – que não é conhecido como um país de tecnologia – nesse mapa de países exportadores de tecnologia. É mostrar que temos muitos talentos e muito valor agregado para oferecer a grandes marcas globais.

 

VoxNews – É incomum uma empresa de tecnologia nascer em Brasília. Como foi isso? Não seria mais vantajoso estar em um grande centro como São Paulo, Rio de Janeiro ou Belo Horizonte?

Emmanuel Orillard – Em primeiro lugar, é importante esclarecer que estamos unificando a marca, mas o posicionamento e o valor agregado de cada unidade não mudam. Nossa visão inicial é a mesma, tornar o mundo surpreendentemente mais simples. Sobre a questão de Brasília, realmente é pouco comum ter uma empresa na capital federal que não atende o governo. Somos uma empresa de Brasília que trabalha no setor privado e nos dá muita satisfação poder mostrar uma outra imagem da cidade para o resto do país e para o mundo.

 

VoxNews – Quais as expectativas para o ano de 2021, tendo em vista as dificuldades econômicas pelas quais o país está passando? 

Emmanuel Orillard – Uma coisa muito positiva é que nosso crescimento, que foi expressivo nos últimos anos, foi autofinanciado. Não precisamos de investimentos externos. Mantendo todos os parâmetros de saúde da empresa, estimamos um crescimento em torno de 60% para 2021. É um percentual menor do que o do ano passado, mas ainda assim bastante bom, considerando que a base de comparação é elevada, devido aos resultados de 2020.

Tags:

Deixe um Comentário