BOLA DA VEZ



O Bola da Vez é o espaço que o Vox News reservou para, através de entrevistas, mostrar o trabalho e a opinião de profissionais que estão se destacando no meio da comunicação e daqueles de quem ainda vamos ouvir falar...

Por Amanda Corrêa


Dudu Lopes – sócio da Silence

14/02/2017

Na semana passada, a Silence, produtora com sede no Rio de Janeiro, atuando há 14 anos em produção de áudio, anunciou investimento para produção, também, de filmes.
 
Liderada por Dudu Lopes, a produtora – premiada nos últimos anos em festivais internacionais como Cannes – está investindo em uma nova sede com estúdios de áudio, ilhas de edição, finalização e composição, além de um servidor SSD de alta performance.
 
Conversando com o VoxNews, Dudu fala sobre a atuação dessa nova estrutura revelando que a nova área de filmes nasceu pela vontade de “entregar algo a mais”. E revela que acredita que tempo de crise é hora para investimento, já apostando em uma retomada de crescimento do mercado publicitário brasileiro em 2017.

 

VoxNews – Você cita novos desafios para a Silence começar a produzir filmes. A crise que o mercado passa “antecipou” essa sua inquietação?

Dudu Lopes – Na verdade, separar a crise de qualquer atitude de um empresário hoje em dia seria impossível. Mas não vejo diretamente a crise como estopim para a mudança da Silence, e sim, a vontade de fazer algo a mais, entregar mais do que já entregávamos.

 

VoxNews – Agora trabalhando como produtora de audiovisual, a Silence terá áreas de áudio e filme separadas? Como será feita a divisão de trabalhos ou a proposta é sempre unir as duas coisas?

Dudu Lopes – As duas áreas são independentes ou integradas, quem desenha o formato é a agência. Sou favorável da livre escolha, a agência tem que poder selecionar com quem vai trabalhar em cada área da produção. Colocar barreiras como, por exemplo, forçar a agência a fazer áudio e vídeo com o mesmo fornecedor não é bom. Essa atitude tem que vir da agência. Claro que, quando entra um filme para produzirmos, adoramos a ideia de entregar o áudio junto, assim alinhamos todo o processo criativo e de produção dentro de casa, sem ruídos e com menos steps, o trabalho cresce.

Mas, envolver um outro fornecedor nesse processo também é sempre enriquecedor. Independente do formato optado pela agência, o trabalho sempre vai sair como tem que sair.

 

VoxNews – A Silence não irá trabalhar com diretores fixos. Já existem algumas parcerias? Quais?

Dudu Lopes – Nunca acreditei que uma determinada agência trabalhar somente com um fornecedor fosse uma boa atitude. Cada job tem um determinado perfil, seja de produção, criação ou direção. Estou trazendo para a área de filmes o mesmo conceito que defendi quando trabalhávamos apenas com áudio. Vamos definir os diretores de acordo com o job com o único objetivo de obter o melhor resultado para o filme. Claro que seria mais interessante financeiramente contratar um diretor fixo, mas o nosso jogo é outro e primeiro vem o filme.

 

VoxNews – A produtora foi muito premiada, inclusive em Cannes, nos últimos anos. Quais os principais prêmios?

Dudu Lopes – Já colocamos na prateleira 6 Leões em Cannes, 2 prêmios no London International Awards, um no El Ojo e 2 no D&Ad, fora diversos prêmios nacionais. Mas são apenas prêmios. Claro que refletem o resultado do nosso trabalho, mas apenas uma parte dele. Entendimento de briefing, processo de produção, criação e resultado de entrega, só conseguimos mostrar no dia a dia durante a produção do job.

 

VoxNews – A Silence também atuará em produções independentes para canais de TV por assinatura? Já existem projetos?

Dudu Lopes – Por enquanto esses projetos estão fora do nosso radar, apesar de já termos participado de algumas conversas. Vamos deixar as coisas fluírem no seu tempo.

 

VoxNews – Com a atuação também em produção de filmes, em quanto está previsto o aumento no faturamento da Silence?

Dudu Lopes – Falar de números é sempre uma saia justa, podemos acabar por subestimar ou superestimar um faturamento ou crescimento. Mas, uma coisa é certo, o orçamento de produção de áudio em um filme normalmente fica em torno de 10% a 15%. Fatalmente quando começamos a produzir filmes nosso faturamento cresce exponencialmente.

 

VoxNews – Qual foi o investimento para passar a oferecer também esse serviço? 

Dudu Lopes – Digamos que relativamente alto (risos). Estamos acabando as obras da nova estrutura, com salas de reunião, estúdios de áudio, ilhas de edição, finalização e composição. Todos os equipamentos e computadores são novos e montamos um servidor SSD de alta performance para trabalhar com 4k, 6k e 8k de forma tranquila, diminuindo brutalmente o tempo de render e por aí vai. Enfim, muito investimento para estarmos preparados e estruturados para a demanda.

 

VoxNews – O que Dudu Lopes, como executivo de propaganda, espera para 2017?

Dudu Lopes – Depois de vivermos bons anos, estamos encarando um momento não tão bom. Muita retração do mercado, clientes reduzindo verba e em alguns casos cortando quase que 100% da comunicação.

Mas eu penso diferente. Tempo de crise é tempo de investimento, momento de renovar estratégias, quebrar a tranquilidade e criar novas oportunidades. Venho percebendo uma tentativa de reativação do mercado desde o final de 2016 e acredito que em 2017 haverá uma crescente desse movimento.

Um outro detalhe que não podemos confundir com qualquer tipo de crise são as mudanças no mercado de comunicação. As mídias estão mudando e a linguagem também, um novo formato de comunicação que já estava ensaiado há algum tempo está se consolidando. Temos que estar antenados para essa evolução e não brigar contra ela, e sim nos adequarmos para seguir em frente, sem ter apego ao passado. O futuro é agora, vamos esquecer as dificuldades que encaramos nos últimos anos e virar o jogo.

  • compartilhe: