“As roupas não têm culpa”

22/05/2017

A cada 11 minutos uma mulher sofre abuso sexual no Brasil. Tão assustador quanto este número são as razões atribuídas a essa violência: 1 a cada 3 pessoas acredita que a culpa é da própria mulher e 30% da população responsabiliza os abusos, não ao estuprador, mas às roupas curtas e sexy usadas pelas vítimas. A Womanity Foundation, entidade internacional que busca a proteção à mulher por meio da educação, trabalho e igualdade entre gêneros, parte deste cenário, no mínimo estarrecedor, para questionar: se as roupas são realmente um convite à violência, como explicar o estupro antes delas?

A pergunta faz parte da campanha “As roupas não têm culpa”, lançada pela entidade, com criação da J. Walter Thompson, que busca chamar atenção para essa visão equivocada sobre as responsabilidades de um crime. Para isso, foram buscar registros históricos que evidenciam a existência do estupro mesmo em épocas em que as mulheres não usavam vestimentas, como a minisaia.

A campanha conta com três anúncios: hotpants, miniskirt e crop tops. Nas peças são resgatados eventos que provam que os casos de estupro nunca tiveram qualquer relação com a vítima ou com as roupas que usavam. Deixam claro que o sexismo existe muito antes de qualquer coisa.

 

Ficha Técnica

Agência: J. Walter Thompson

Título: As roupas não têm culpa

Anunciante: The Womanity Foundation

Produto: Institucional

CCO: Ricardo John e Rodrigo Grau

ECD: Humberto Fernandez

Diretor de Criação: Mariana Borga e Erico Braga

Diretor de Arte: Gabriella Marcatto

Redator: Mariana Borga, Eveline Farina e Mariana Carvalho

Atendimento: Thiago Galdi, Caroline Amaral, Enrico Cavallari e Luisa Tofeti

Mídia: Camila Bertoli, João Dabbur, Gabriela Amato e Nathalia Silva

Diretora RTV: Márcia Lacaze

Produtora RTV: Patrícia Motta

Fotógrafo: Gabriel de Moura

Produtora: PICT Estúdio

Aprovação do Cliente: Tiana Vilar Lins

  • compartilhe: