Escreva para pesquisar

BOLA DA VEZ

Lucas Duque – sócio da Sonido Na Cena

Compartilhar

O Bola da Vez inicia o ano de 2013 com uma entrevista com Lucas Duque, sócio da Sonido, produtora de áudio que completou 10 anos. A Sonido chega à São Paulo através de uma parceria com o estúdio Na Cena, que tem como sócio o músico Max de Castro. Lucas, que acaba de receber pela segunda vez consecutiva o prêmio Destaque Profissional na categoria Produção de Som – concedido pela Associação Brasileira de Propaganda (ABP) – fala sobre os principais trabalhos da Sonido em 2012, a parceria com a Na Cena e suas expectativas para esse ano que começa.

VoxNews – Como funciona a parceria da Sonido com a NaCena? Quais as atribuições de cada um?
Lucas Duque – Hoje, Sonido e NaCena são sócios em São Paulo. As empresas se completam. A Sonido chega com 10 anos de experiência em áudio para publicidade, e o NaCena com a estrutura completa de um dos maiores estúdios de música da América Latina. Além do grande e talentoso Max de Castro, que completa o quadro societário.

Voxnews – Você acaba de receber o Prêmio ABP Destaque Profissional na categoria Produção de Som. O que isso representa para você?
Lucas Duque – Olha, foi muito surpreendente! Em 2011 eu fui o ganhador, o que já tinha me deixado muito feliz e realizado. Quando recebi a noticia da indicação em 2012, a sensação foi a de dever cumprido. É muito gratificante pra mim e para equipe, já que sou uma parte da engrenagem. Não da pra achar que ganhei sozinho.

VoxNews – Quais foram os seus trabalhos de maior destaque este ano?
Lucas Duque – Difícil responder…mas acho que o filme de Antártica que está no ar, campanha de spots pra Itaipava (ganhamos Lâmpada de ouro na ABP), campanha de Honda, filme de Oi (gravamos uma música do Charles Aznavour), filmes de Coca Cola Zero, de Brasas…

VoxNews – Qual o diferencial do trabalho da Sonido NaCena?
Lucas Duque – É difícil falar, pois não conheço de perto o dia a dia de outras produtoras. O que posso dizer é que gostamos muito do que fazemos. Dos desafios. Usar a criatividade em todas as etapas de um job é fascinante. A gente pensa de uma forma muito artesanal, muito customizada. A equipe toda é muito comprometida com a excelência, com a qualidade do que entregamos.

VoxNews – Como você avalia, nos dias de hoje, com tanta tecnologia disponível, a qualidade dos trabalhos publicitários no que diz respeito à produção sonora?
Lucas Duque – Como você disse, a tecnologia está aí pra quem quiser, muito disponível. Hoje, os estúdios não precisam de um monte de periféricos, basta a tecnologia. Ou seja: vale o material humano. É preciso tirar som, mostrar que sabe trabalhar bem, rápido e com muita qualidade.

VoxNews – Quais as diferenças entre compor uma canção e um jingle?
Lucas Duque – A canção surge sem tema, do nada, quando você tem vontade de falar sobre alguma coisa ou alguém. É uma necessidade sua. Já o jingle tem tema, precisa comunicar. Mas na minha cabeça, o grande pulo do gato é fazer o jingle soar como música. Não só na composição, mas também na produção e na mixagem.

VoxNews – Quais os planos da Sonido NaCena para 2013?
Lucas Duque – Chegamos agora ao mercado de São Paulo. Está fantástico, mas é só o início. Precisamos trabalhar mais e mais para termos um maior alcance e fazer com que todos escutem o nosso som. No Rio trabalhamos bem, mas a vontade é de sempre aprimorar, aprender. A grande vantagem é fazer o que gostamos. Se for assim, tudo caminha bem.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *