Escreva para pesquisar

DESTAQUE

Zombie Studio em coprodução internacional contra o abate de leões na Africa do Sul

Compartilhar

Pelo menos 70% dos leões da África do Sul nascem em cativeiros e são criados para turistas abraçarem e tirarem fotos. Quando crescem demais para serem abraçados, são vendidos para os chamados “caçadores de troféus” e mortos em instalações chamadas “canned hunting”, ou “caça enlatada” nas quais os leões não tem chance de fugir. Para tentar combater essa prática a Born Free Foundation lança uma animação criada pela ENGINE Creative para mostrar a realidade brutal da vida de um leão “criado para o rifle”.

“The Bitter Bond” é uma animação de 2 minutos coproduzida pela Zombie Studio e a Blinkink, convidando o público a assinar uma petição para mobilizar o governo sul-africano a parar com essa prática.

A trilha é “Born Free”, interpretada por Matt Monro.

 

FICHA TÉCNICA:

Client: Matt Smithers, Head of marketing and fundraising, Born Free

Agency: ENGINE

Executive Creative Director: Paul Jordan

Creative Directors: Steve Hawthorne & Katy Hopkins

Creatives: James Hodson & Jason Keet

Agency Producer: Stefanie Forbes

Account Handling: Eve Bui, Tom Butler, Katie Gould

Planning: Laura Sammarco

Social: Gemma Glover & Jack Cartwright

Production: Blinkink and Zombie Studio

Animation and Visual Effects by: Zombie Studio

Directed by: Daniel Salles and Paulo Garcia

Executive Producers: Bart Yates, Natália Gouvea

Cinematography by: Lucas Barreto

Sound Design: Ben Leeves at Jungle

Musical Intro: Alex Wilson-Thame 

Song: ‘Born Free’ performed by Matt Monro licensed by Soho Music

Animation producers: Marcio Lovato, Antonela Castro, Leticia Harumi

CGI Lead: Yohann da Geb

Storyboard and Animatic by: Saulo Brito

Lead Modeller: Mauricio Sampaio

Animation Director: Bruno Monteiro

Animators: Bruna Berford, Bruno Santos, Christian Weckl, Conrado Testa, Francisco Catão, Hannry Pschera, Jonathan Edward, Leonardo Felix, Leonidas Maciel, Marcos Elias, Michel Denis Da Silva, Rodrigo Dutra

Colourist: Marcio Pasqualino

Tags:

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *