Vale utilizar a mesma ideia? Mesmo que seja sua?

03/09/2012

Na semana passada a 11:21 divulgou um filme para a corretora Bells Seguros. Na descrição do release o filme começa com uma cartela e um locutor avisando que o comercial que iria passar ali se perdeu. Que sua cópia estava em um carro que foi roubado e que o original estava em um prédio que pegou fogo. O roteiro estava numa lancha que afundou e que a ideia estava na cabeça do publicitário que foi internado em estado de choque quando soube disso tudo. No final, o locutor ainda morre de enfarte.

Só que na Internet, já está postado um filme idêntico para a Generali Seguros, com assinatura de Gustavo Bastos, atual sócio da 11:21. Questionado pelo Voxnews, o criativo informou que a “filme original foi criado em 1996 e apresentado pronto para a Generali Seguros, mas nunca foi comprado por ela.”

Em uma breve pesquisa, no entanto, o filme – que não foi apresentado para a Generali Seguros – foi premiado no Prêmio Colunistas em 1997, com medalha de Bronze, para a GR3. Criação de Gustavo Bastos. Questionado mais uma vez, Bastos informou que “naquela época era possível ganhar prêmios com filmes que não iam ao ar.”

O Voxnews pergunta: vale utilizar a mesma ideia? Mesmo que seja sua?

  • compartilhe: