BOLA DA VEZ



O Bola da Vez é o espaço que o Vox News reservou para, através de entrevistas, mostrar o trabalho e a opinião de profissionais que estão se destacando no meio da comunicação e daqueles de quem ainda vamos ouvir falar...

Por Amanda Corrêa


Tico Moraes – sócio do Studio Nuts

01/08/2017

 

Lançado há oito anos por Tico Moraes e Valéria Lima, o Studio Nuts anunciou há pouco tempo fusão com Estúdio Bulldog, em Brasília, dos co-fundadores Frederico Vasconcellos e Antonio Pedro. Há seis anos ambos os estúdios já vinham assinando trabalhos em parceria.

 

Nessa entrevista, Tico Moraes também fala da sua transição de diretor de arte em agências até a criação do Studio Nuts e, ainda, sobre a mudança para Portugal para estar mais perto de clientes europeus. Com a ajuda do fuso horário, consegue ganhar tempo para atender o Brasil através dos escritórios do Rio de Janeiro e, agora, Brasília.

 

 

VoxNews – Como foi o processo de criação do Studio Nuts, já que você atuava há anos em agências de publicidade?

 

Tico Moraes – Como diretor de arte sempre procurei ir além da criação e estar atento aos detalhes nas imagens das campanhas, mesmo enquanto preparava os layouts.  Fui trabalhar em Portugal e nesse momento comecei a sonhar em ter um estúdio que pudesse reunir talentos para produzir o que fosse relacionado a imagens. Retornei ao Brasil a convite da Artplan e trabalhei por 1 ano. Quando saí havia duas alternativas: continuar trabalhando em agências ou montar o meu próprio negócio e realizar o meu sonho. Com o apoio da Valéria Lima, minha esposa e sócia, o Studio Nuts nasceu e já possui oito anos.

 

 

VoxNews – O Studio Nuts foi lançado no Rio de Janeiro e depois de alguns anos vocês mudaram a sede para Lisboa. Qual foi o principal motivo dessa decisão?

 

Tico Moraes – O curioso desta história é que o Studio Nuts nasceu primeiro em Portugal. A empresa foi criada e registrada em Lisboa primeiramente, só que a estrutura era no Rio de Janeiro.

 

Apesar da equipe atual no Rio ser a mais consistente e a base de tudo, em 2015 decidimos criar uma estrutura em Lisboa para estarmos mais próximos dos clientes europeus. Claro, que esta decisão também passou por um lado pessoal e emocional muito grande. No final, não houve uma mudança de sede e sim abertura de mais um escritório.

 

 

VoxNews – Há pouco, vocês anunciaram fusão com o Estúdio Bulldog, de Brasília. Qual a importância estratégica de estar fisicamente nesse mercado?

 

Tico Moraes – Nós já tínhamos uma parceria muito boa com o Estúdio Bulldog. O Fred (Frederico Vasconcellos), um dos sócios, possui uma história muito parecida com a minha, uma vez que foi diretor de arte e trabalhou em grandes agências do mercado local. Esta parceria se deu pela vontade em poder estar mais próximos dos clientes locais e facilitar a comunicação. Trata-se de um mercado com necessidades bastante específicas. Nós já trabalhamos independentemente de ter um parceiro local, mas sentimos que a comunicação poderia ter sido melhor.

 

 

VoxNews – Como funciona o trabalho integrado entre a sede em Lisboa e os escritórios no Rio de Janeiro e Brasília.

 

Tico Moraes – A coordenação é feita pela Janaína Villas-Boas que fica no escritório do Rio. Quando temos projetos muito urgentes ou muito complexos (a maioria dos casos), dividimos as fases dos trabalhos. Com o fuso horário, ganhamos 4 horas de trabalho. Ou seja: enquanto em Lisboa podemos tocar uma boa parte do projeto até às 19h, no Brasil poderá dar continuidade tranquilamente, pois ainda serão 15h. E assim por diante.

 

Estamos o tempo todo em comunicação como se estivéssemos todos em um único espaço utilizando webcam e chats.

 

 

VoxNews – Tivemos há pouco mais de um mês o Festival de Cannes. O que pode nos contar de tendências nos segmentos de ilustração, 3D e fotografia?

 

Tico Moraes – Creio que de uma forma geral, não só para a publicidade, a palavra do momento é tecnologia. Ao meu ver, cada vez mais a ilustração, 3D e fotografia serão ainda mais interativos, mais divertidos e mais cativantes.

 

É o exemplo que vi na praia do Facebook este ano: com fones de ouvido e um óculos rift, pude ouvir uma história narrada e embalada por uma trilha e sound fx. Enquanto a história era contada várias ilustrações eram feitas através de um aplicativo (Tilt Brush). Você sentia que poderia encostar no ar uma pincelada dos brushes utilizados.

 

 

VoxNews – O que ainda podemos esperar do Studio Nuts em 2017?

 

Tico Moraes – Estamos estruturando mais a área de animação com contratações ainda neste semestre. Não só da maneira mais tradicional e usual como estamos habituados a ver. Queremos produzir projetos que possam interagir mais com o consumidor e para isso estamos desenvolvendo parcerias para viabilizar esta próxima etapa.

  • compartilhe: