BOLA DA VEZ



O Bola da Vez é o espaço que o Vox News reservou para, através de entrevistas, mostrar o trabalho e a opinião de profissionais que estão se destacando no meio da comunicação e daqueles de quem ainda vamos ouvir falar...

Por Amanda Corrêa


Ricardo Wolff – diretor de Criação na BBDO Alemanha

23/03/2015

ricardowolff

O VoxNews traz agora uma entrevista com Ricardo Wolff, brasileiro responsável pela conta de Smart na BBDO de Berlin desde 2013. Antes, porém, criativo tem passagens por diversos escritórios da rede DDB, além de ter sido Young Lion pela Alemanha e também pelo Brasil.

No país de origem, Wolff formou com Guiga Giacomo uma dupla “híbrida” na AlmapBBDO. No bate papo, Wolff consegue fazer um paralelo entre o mercado publicitário alemão, no qual trabalha desde o início da carreira, e o brasileiro.

VoxNews – Para começar, nos conte sobre a sua carreira.

Ricardo Wolff – Consegui um estágio na Jung Von Matt de Hamburgo no último trimestre da Miami Ad School/ESPM, e de lá fui bater na porta de várias agências em Berlim. Recebi uma proposta do então CCO da DDB Alemanha Amir Kassaei com a seguintes condições: trabalhar em todas as contas da rede, além de viajar pelos escritórios da DDB Worldwide ajudando em projetos especiais e concorrências. Isso em 2007. Pela DDB ganhei Leões para clientes como Ikea e Volkswagen, e fui Young Lions pela Alemanha e Brasil. Aí chegou a hora de voltar.

Em 2010 mudei para a AlmapBBDO formando a primeira “dupla híbrida” da agência com Guiga Giacomo, atual diretor de criação da Pereira O’Dell. Ele vinha de uma formação digital e de cara pegamos jobs on e off numa época em que essa divisão (tanto na agência como fora) era bem engessada. Em 2013 aceitei o convite da BBDO Berlin para assumir a direção de criação da conta de Smart, e voltei pra Alemanha.


VoxNews – Há algum tempo fora do Brasil, como você vê hoje a propaganda no país.

Ricardo Wolff – Por estar longe não acompanho mais o que vai pra rua. Aqui, entre os alemães, entre os gringos, dá para sentir um imenso respeito pela propaganda brasileira, especialmente depois dos últimos anos em Cannes. De uns tempos pra cá o Brasil entrou na briga dos grandes. Saiu da esfera do print fantasma para disputar GPs em várias categorias, inclusive Titanium.

VoxNews – E como você compara os dois mercados – Brasil e Alemanha – criativamente?

Ricardo Wolff – A propaganda de um país é um reflexo direto de como o povo pensa e se comporta. Não dá para falar que um país é mais ou menos criativo que outro, só o que funciona melhor pra cada um. Alemão gosta de inovação; de tecnologia. Humor não está lá entre as prioridades na comunicação. Claro que existem exceções, mas a norma é ser clean, direto, sem firula. Bem diferente do Brasil, onde humor é essencial.

VoxNews – Muitos criativos brasileiros estão indo para fora do Brasil. É um movimento natural na carreira de um publicitário? Há algum motivo que você ressalta?

Ricardo Wolff – Ir pra fora é um passo que indico pra qualquer pessoa de qualquer ramo, especialmente no nosso. Nossa profissão é basicamente comunicação, e não existe forma melhor de botar isso em prática do que fora do seu país de origem. Tudo se torna mais intenso. Quem tem a oportunidade, não deve pensar duas vezes. Quem não tem, que dê um jeito. Eu saí do Brasil sem falar alemão, sem conhecer ninguém, com um portfólio de 30 títulos. Se ficasse pensando muito, não saía. Estava tudo contra.

Sobre o número cada vez maior de brasileiros a caminho do aeroporto, não acho que exista apenas UM motivo. São vários. Péssima qualidade de vida nas grandes cidades, atual momento político/econômico, grande aceitação de brasileiros no mercado gringo, e, principalmente, o bom e velho carpe diem. Vontade de viver outras culturas, conhecer pessoas e modos de vida diferentes. Tudo isso, somado, forma um grande botão de eject na cabeça do criativo.

VoxNews – As agências de mercados emergentes na publicidade como Dubai, Qatar, Singapura é formada por profissionais de diversas nacionalidades. Como é na Alemanha?

Ricardo Wolff – O mercado criativo alemão é bem, bem fechado. Aqui a coisa é diferente de Amsterdam ou Paris, onde o inglês, muitas vezes, é língua quase predominante nos corredores da agência.

VoxNews – Quais as principais contas que você atende? Quais os trabalhos criados na BBDO que você destacaria?

Ricardo Wolff – A BBDO Berlim é o HQ de Smart. Daqui saem as campanhas para o mundo inteiro. Eu sou diretor de Criação da conta, mas trabalho paralelamente com outros projetos e clientes da agência, quando surge a oportunidade. Um exemplo é a campanha que levou Leão em 2014 para Pedigree “Get Adopted”.

Outros trabalhos que destacaria, para Smart, são o “Dancing Traffic Light” (vídeo abaixo), a campanha “Quicker Turnarounds” e o recente poster “U-Turn”.

  • compartilhe: