BOLA DA VEZ



O Bola da Vez é o espaço que o Vox News reservou para, através de entrevistas, mostrar o trabalho e a opinião de profissionais que estão se destacando no meio da comunicação e daqueles de quem ainda vamos ouvir falar...

Por Amanda Corrêa


Ricardo Carelli, diretor da Prodigo Films

22/04/2013

Ricardo Carelli, um dos fundadores da Dínamo, onde ficou por 15 anos, largou a vida de dono de produtora para se dedicar a carreira de diretor na Prodigo Films. O principal motivo: a paixão pelo o que se faz. Considerado um dos melhores diretores de animação 3D, motion graphics do mercado, deu um upgrade no departamento de pós produção da Prodigo e investiu em equipamentos, softwares e na contratação de pessoal qualificado.

Em 2010, ganhou seu primeiro Leão, no Festival de Cannes na categoria “Film” com o filme “Preto e Branco”, criado pela BorghiErh/Lowe para Skip da Unilever, que lhe rendeu o único prêmio de Ouro na categoria Filme no 36º Festival do Anuário do Clube de Criação de São Paulo, Ouro no Fiap 2011.

Nesta entrevista, Carelli falar sobre a carreira, essa mudança radical, sobre a complexidade de alguns trabalhos de pós produção e planos para o futuro. Confira:

VoxNews – Você foi um dos fundadores da Dínamo, onde ficou por 15 anos. O que o levou a deixar a sociedade para virar ‘apenas’ diretor de cena na Prodigo?
Ricardo Carelli – Algumas divergências quanto ao futuro da empresa e minha vontade de focar na minha carreira de diretor, que é a minha paixão. Esses foram os motivos.

VoxNews – Como é o processo criativo para um comercial com técnicas de animação?
Ricardo Carelli – Geralmente olhamos algumas referências que se encaixam com o que o roteiro pede e desenhamos alguns style frames para mostrarmos o caminho visual do filme. Gosto de animar um trecho de poucos segundos para ilustrar a idéia tanto para agência como para o cliente. Muitas vezes essa idéia é adaptada a verba e ao tempo que temos para executar. É preciso conhecer bem a realidade do cliente e saber o que propor. O simples também pode ser bonito e legal.

VoxNews – Nesses meses iniciais na Prodigo, quais foram seus principais trabalhos?
Ricardo Carelli – Bepantol Baby, pra JWT e o flime de FIAT, onde deixamos o Ronaldo magrinho, pra Leo Burnett Taylor Made.

VoxNews – Cite alguns comerciais recentes que chamaram sua atenção.
Ricardo Carelli – O último do Romain Gavras, para Samsung, impecável.

VoxNews – Quais são suas principais referências nesse mercado?
Ricardo Carelli – Tem muita coisa que gosto e acompanho. Além do Romain Gavras, gosto muito de caras como Jonathan Notaro, So Me, Johnny Kelly… são muitos

VoxNews – Qual foi o seu trabalho mais difícil de produzir?
Ricardo Carelli – Todos os trabalhos tem seu grau de dificuldade. O filme da Fiat com o Ronaldo magrinho para citar um exemplo, apesar de parecer muito simples a produção foi bastante complexa. A brincadeira de deixar o Fenômeno bem magrinho não foi apenas uma simples troca de cabeças em um corpo parado. Utilizamos motion control, um trilho controlado por computador que repete o movimento de câmera com precisão. E para tudo dar certo, o planejamento foi essencial. Levamos uma semana para planejar e um dia para fazer testes de câmera, tempo e deslocamento com o objetivo de garantir o máximo de similaridade dos movimentos do Fenômeno e seu dublê. Tinhamos poucas horas com o Ronaldo no set para rodarmos toda a campanha, en†ão esse planejamento foi fundamental.

VoxNews – Como anda o mercado de animação no Brasil? O que um aspirante deve fazer para adentrá-lo?
Ricardo Carelli – Na propaganda anda um pouco difícil de conseguir fazer o cliente acreditar e comprar a melhor qualidade. Isso é a realidade de hoje. No entretenimento tem muita coisa legal sendo produzida. Uma pessoa que quer começar tem que se informar e conhecer diversas técnicas e processos. Experimentar, tentar colocar em prática de alguma forma. A concorrência é cada vez mais forte.

VoxNews – Quais os seus planos para o futuro?
Ricardo Carelli – Ser cada vez melhor no que faço, aprender com cada projeto e processo que participo. Me envolver com diferentes trabalhos para outras mídias que rolam na Prodigo. Fazer alguns projetos meus saírem do papel. Desenhar e pintar mais.

  • compartilhe: