Escreva para pesquisar

MÍDIA

Governo cria grupo para acelerar ‘apagão’ da TV analógica

Compartilhar

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, publicou no Diário Oficial do dia 26/10 uma portaria criando um grupo de trabalho para cuidar do desligamento da TV analógica. O grupo terá como missão principal a elaboração e acompanhamento do Plano de Desligamento da TV Analógica, estabelecendo um cronograma de desligamento, a divulgação desse calendário e a realização de testes. Esse plano de desligamento será enviado para consulta pública no prazo de 60 dias. Ocorre que ele já existe. Foi divulgado pelo ministério em agosto, e aqui foi noticiado.

O decreto que instituiu a TV digital no país, em 2006, estipulou que o desligamento analógico, também chamado de apagão analógico, ocorreria em 2016. Ou seja, daqui a quatro anos, todos os canais analógicos (como o 5 da Globo em São Paulo) deverão ser desligados. As emissoras passarão a operar apenas com os canais digitais. Quem não tiver televisor digital não verá TV. Mas o governo quer antecipar o apagão analógico. Na Grande São Paulo, prevê o desligamento dos canais analógicos em março de 2015.Ainda em 2015, pretende fazer o mesmo em Brasília e em todas as capitais do Sudeste, Sul e Nordeste.

A ideia do governo tem a oposição das redes de televisão. Segundo elas, o Brasil não estará pronto para o desligamento analógico nem em 2016. Hoje, dizem, existem apenas 16 milhões de televisores digitais no país. É pouco para um universo de mais de 60 milhões de domicílios. Por trás da pressa do governo está a pressão das telefônicas. As empresas de telefonia querem pegar as frequências dos canais 52 a 69, hoje usadas pela TV aberta, para operar internet móvel de alta velocidade.

Do blog do Daniel Castro, no R7

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *