Escreva para pesquisar

PUBLICIDADE & MARKETING

Embalagem de pão para divulgar doação de órgãos

Compartilhar

A Superintendência de Comunicação da Secretaria de Saúde de Pernambuco colocou em 100 mil embalagens de pão a campanha “Diga sim pra vida continuar”, de incentivo à doação  de órgãos. A comunicação também conta com peças para TV e outdoors.

As embalagens trazem dicas sobre como realizar a doação, buscar  informações sobre o tema e também desmistificam alguns mitos, como o de  que a captação do órgão deixa o corpo mutilado ou que o quadro de morte  cerebral é reversível. Com o mote “Avise sua família que você é doador,  converse sobre isso durante as refeições”, o objetivo é estimular a  discussão do tema durante o café ou jantar, já que o pão vai para a mesa das famílias por uma ou duas refeições a cada dia. Participam 100 padarias ligadas ao Sindicato das  Indústrias de Panificação e Confeitaria de Pernambuco (Sindipão), nas  cidades de Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes.

Atualmente, cerca de 3 mil pessoas estão na fila de espera por um órgão, sendo a  maior parte por rim (1.725 pessoas) e córnea (10.24). Quando os doadores não aparecem, a espera pelo transplante torna-se, muitas vezes, fatal  para esses pacientes. Este ano, 1.097 transplantes foram realizados em  Pernambuco. Em 2011, no mesmo período, o número foi de 678 procedimentos – ou seja, houve um aumento de 62%. Atualmente, cerca de 2,9 mil  pessoas aguardam na fila de espera e, de cada dez familiares abordados,  oito se negam a doar os órgãos de pacientes com quadro de morte cerebral (irreversível).

Em Pernambuco, a maior lista de  espera é por um rim – 1.725 pessoas. Em segundo lugar, estão os que  precisam de transplante de córnea (1.024). Em seguida, vem fígado, com  126 pessoas na lista de espera, e, por último, coração, e rim/pâncreas,  cada um com quatro pacientes. Até agosto deste ano, 1.097 transplantes  foram realizados em Pernambuco. Em 2011, no mesmo período, o número foi  de 678 procedimentos – um aumento de 62%. Em relação às doações, houve  um aumento de 73% (48 doações em 2011 contra 83 este ano).

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *