Cannes: entidades se posicionam contra produção sem remuneração

04/02/2016

Cannes-Lions

Em comunicado ao mercado publicitário brasileiro, agências e anunciantes, associações abaixo relacionadas renovam a recomendação feita em 2015 a seus associados para que não aceitem a utilização de seu tempo nem de seus equipamentos, estúdios e serviços, de forma gratuita, na produção dos chamados “filmes de Cannes” ou para outros festivais publicitários.

Entre um dos motivos citados é a repentina alta do dólar associada ao momento recessivo do país, que elevaram os custos gerais de produção, criando um ambiente de negócios onde não há mais como solicitar que pessoas, espaços e equipamentos sejam colocados para trabalhar sem remuneração.

No entanto, informam que a cadeia produtiva colabora e continuará colaborando com a produção de filmes beneficentes ou filantrópicos, desde que tenham sido devidamente encomendados por ONG´s ou entidades sem fins lucrativos e que estejam destinados a veiculação gratuita pelas emissoras em campanhas de cunho social.

Assinam as entidades:

ABELE – Associação Brasileira das Empresas Locadoras de Equipamentos e Serviços Audiovisuais
ACASP – Assistentes de Câmera Associados do Estado de São Paulo
APRO – Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais
ASTIM – Associação dos Técnicos em Iluminação e Maquinaria
SIAESP – Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo
SINDCINE – Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual
SATED – Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão de São Paulo
UDFSP – União dos Diretores de Fotografia de São Paulo

  • compartilhe: