Bienal brinca com tentativa de explicar arte

16/09/2016

_01-posterbienal-divulgacao

_02-posterbienal-divulgacao

_03-posterbienal-divulgacao

A arte contemporânea fica, muitas vezes, mais complicada do que realmente é quando alguém tenta explicá-la. Foi pensando nisso e com a expectativa de quebrar o recorde de visitas da exposição que a CP+B Brasil criou o conceito “Difícil colocar em palavras. Melhor ver”, que norteia toda a comunicação da 32ª Bienal de São Paulo.

Dois filmes mostram diferentes personagens tão comuns tentando – e não conseguindo – explicar obras de arte: a Ms. English, que inclui em praticamente todo o seu discurso termos em inglês; e o Mr. Referência, que cita grandes nomes e correntes conceituais para parecer mais inteligente

Além dos filmes, a comunicação contempla anúncios em mídia impressa, pontos de ônibus e spots de rádio. Sob o título “Incerteza viva [Live Uncertainty]”, a 32ª Bienal de São Paulo acontece até 11 de dezembro de 2016, no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, reunindo 81 artistas e coletivos.

Ficha Técnica:

Título: Explicações
Agência: CP+B – CRISPIN PORTER & BOGUSKY BRASIL PUBLICIDADE LTDA.
Cliente: Fundação Bienal
CCO: André Kassu e Marcos Medeiros
Diretor de Criação: Marcelo Rizério
Criação: Erick Mendonça, Hiroito Takahashi, Thiago Ehlke, Yan Esteves e Andriws Vilela.
RTVC: Renata Sayão e Fabíola Camilo
Planejamento: Caio DelManto e Julia Prais
Atendimento: Renata Wirthmann e Malu Godoi
Mídia: Tiago Santos, Edson Melo, Rafael Takeshita, Fabiana Melo e Gabriela Pompiani
Projetos: Denise Kotsubo
Produtora Filme: Boiler
Diretor: Dulcídio Caldeira
Produtora de Som: Raw Audio
Fotografia: Andrea Dematte
Produtora Digital: Bull
Ilustração: Marcos Medeiros
Aprovação cliente: João Livi, Luciana Guimarães, Felipe Taboada, Gabriela Longman, Julia Murari

  • compartilhe: