Escreva para pesquisar

DESTAQUE

Almap destaca “Fato Distorcido” para Veja

Compartilhar

veja_ensaio

O filme “Fato Distorcido” é resultado de uma experiência verdadeira realizada pela AlmapBBDO para a marca VEJA, da Editora Abril. O experimento envolveu seis artistas de diferentes técnicas e partiu da foto feita pelo fotojornalista Kevin Carter, no Sudão, na África, em 1993, e que com ela venceu o Prêmio Pulitzer. Nela, uma criança em grave estado de subnutrição está na mira de um abutre. Exposta em um galpão, a imagem foi observada pelo pintor Rien, que a reproduziu, criando uma obra de arte em que há uma leve semelhança com a foto de Carter.

A foto foi então coberta e os artistas convidados passaram a ver apenas o trabalho realizado pelo anterior. O ilustrador Eduardo Nunes foi convidado a observar a pintura de Rien e, a partir dela, criar uma obra. A arte de Nunes, apesar de abordar o mesmo tema, já é bem diferente da pintura de Rien. Depois dele, foi a vez do escultor Cícero D’Ávila interpretar o que via na ilustração. A bela escultura resultante já nada lembra a foto que deu origem ao ensaio.

É então a vez do grafiteiro Giuliano Alemão dar a sua versão, desta vez da escultura de D’Ávila. No amplo painel criado, o grafite multicolorido está ainda mais distante da triste imagem inicial. O próximo é o xilogravurista Samuel Ornellas que, diante do trabalho de Alemão, entalha na madeira uma delicada imagem que, ao ser passada para o papel, revela uma gravura que nem de longe poderia sugerir a foto vencedora do Pulitzer.

O fotógrafo Guto Nóbrega é o último artista a participar do experimento. Ele busca na xilogravura a inspiração para a imagem que, como um ciclo, faria o ensaio voltar à técnica que o originou. Ele percorre vários lugares da cidade de São Paulo fotografando e escolhe uma imagem na qual uma criança é o personagem principal, mas nela não há a tragédia e a tristeza exibidas na imagem de Carter.

Uma a uma, a interpretação de cada artista sobre o que via no trabalho do profissional anterior foi se afastando da realidade exibida na foto original. Como na arte, quanto mais intermediários entre o fato e a notícia, mais distorcida é a informação. O filme encerra com o lettering “Vá direto à fonte” e a assinatura “VEJA. Para não ficar indiferente”.

Ficha Técnica:

Anunciante: Editora Abril

Título: Fato Distorcido

Produto: VEJA

Diretor Geral de Criação: Luiz Sanches

Diretor Executivo Criação: Bruno Prosperi, Renato Simões

Criação: Cesar Herszkowicz, Luciano Lincoln

Produtora: BossaNovaFilms

Produtor Executivo: Eduardo Tibiriça

Atendimento Produtora: Kiska Kaysel e Renata Prado

Direção: Vitor Amati

Fotografia: Walter Carvalho

Montador / Editor: Oswaldo Santana

Finalização: BossaNovaFilms

Finalizadora: Rosana Felix

Produtora de Áudio: Satelite Audio

RTVC: Vera Jacinto, Diego Villas Boas, Adriana Kordon, Fernando Yamanaka

Atendimento: Fernanda Antonelli, Mariana Silveira, Beatriz Almonacid

Planejamento: Cintia Gonçalves

Mídia: Wanderley Jovenazzo, Denise Lavezzo, Kauê Cury, Livia Novaes, Rogério Beraldo

Coordenador de fotografia: Teresa Setti e Stephanie Biekarck

Aprovadores: Rogério Gabriel Comprido, Simone Sousa, Ícaro de Freitas, Rafael Cescon

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Next Up